Ir para o conteúdo

Publicidade

 Estatísticas do Fórum

  • 0 Usuários ativos

    0 membro(s), 0 visitante(s) e 0 membros anônimo(s)

Foto:
- - - - -

[Resolvido] [Acessórios] Fone da Razer tem conchas confortáveis

  • Por favor, faça o login para responder
Não há respostas para este tópico

#1 Revista INFO

Revista INFO
  • Moderadores
  • 90 posts

Postado 04 maio 2012 - 16:54

Avaliação do editor Airton Lopes
imagem
Formato concha Headset Conexão P2 Cabos de 1,3 m Sensibilidade: 104 dB Resposta de frequência: 25 – 16.000 Hz 300 g

Avaliação do editor Airton Lopes

Como todo bom fone de ouvido para games, o Electra tem visual bem estiloso e funciona como headset. Ele vem com dois cabos descartáveis: um normal e um com microfone, mas sem controles de volume. Nos dois casos, o comprimento do fio (1,3 metro) poderia ser maior. A qualidade do som agrada nos jogos e com música. O grave é reforçado, mas não de forma exagerada.

Avaliação de Leonardo Veras

Quando analisamos o áudio do Electra de mais maneira mais profunda, notamos algumas falhas apesar da excelente qualidade de som geral. Como mencionamos acima, os sons de baixa frequência têm primazia nos alto-falantes desse fone, que relega os médios e os agudos ao segundo plano. Em outras palavras, rocks dominados por um baixo e uma bateria pesados sacodem quem quer que esteja equipado com o Electra, mas músicas nas quais outros tons predominam, como um concerto para violinos, não soam tão bem. No final das contas a qualidade de áudio é excelente para a maioria das pessoas, mas os audiófilos mais exigentes provavelmente sentirão falta de um som mais equilibrado. Quando o som está no máximo, os graves se tornam tão fortes que o som distorce um pouco. De qualquer maneira, ninguém que preze pela própria audição vai se arriscar o volume máximo de um fone tão potente.

Nem há motivo para deixar volume muito alto: o isolamento de som do Electra é excelente. Não se trata de um sistema de isolamento ativo, mas o material utilizado para cobrir as conchas é denso o suficiente para barrar a maioria dos sons externos. Em contrapartida, a haste que liga as conchas é um tanto rígida, o que auxilia o isolamento, mas torna o fone desconfortável depois de algum tempo de uso.

Mas estamos falando de um Razer, o que significa que esse fone não foi projetado para ser bom em qualquer situação e sim para ser irrepreensível em uma função específica: a de um fone para jogos. Neste caso, é difícil encontrar deficiências na qualidade de áudio. Embora o Electra, para um fone desse nível, não seja muito notável no que concerne apenas as especificações (driver de 40 mm, impedância de 32 ohms, etc.), o resultado alcançado é ideal para games. A Razer conseguiu fazer mais com menos e transformou esse sistema estéreo em um portal para Azeroth, Tamriel ou qualquer outro mundo fictício presente nos jogos.

A claridade do som periférico é realmente excepcional para um fone nessa faixa de preço. Já testamos fones que excedem o Electra, inclusive nesse quesito, mas eles são em geral muito mais caros. De uma forma ou de outra, o fato é que com o Electra é fácil distinguir os movimentos dos soldados em “Crysis 2” e é possível ouvir o farfalhar da vegetação enquanto os exércitos de Napoleão marcham sobre a planície da Ucrânia em “Napoleon Total War”. No entanto, o microfone in-line pode incomodar os fãs de FPS, que normalmente preferem algo que não mude de posição toda vez que o jogador se movimenta.

Na ponta dos cabos do Electra encontramos conectores P2 banhados a ouro, mais resistentes que os P2 convencionais. Apesar desse cuidado com o conector, o cabo em si é um pouco frágil e provavelmente não suporta muita tensão. A P2 do cabo que possui um microfone in-line tem quatro pontos de contato, o que a torna compatível com alguns smartphones, como o iPhone. Por outro lado, esse conector só pode ser utilizado com todo seu potencial em computadores que tenham uma P2 mista para fone e microfone. Uma característica meio chata é a ausência de uma entrada P2 para cada concha, o que força o usuário a sempre conectar o fio na concha esquerda.

O visual chamativo, as dimensões e o peso (300 g) do Electra não são exatamente características de um fone portátil que possa ser levado no ônibus e no metrô. Ainda assim, levando em conta o bom isolamento que esse fone proporciona, ele pode até ser um bom companheiro em locais barulhentos.

Veja mais
  • 0




Publicidade

/ins>