Jump to content

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

George Feitosa Jr

Como fazer uma análise para criar um sistema para alguem?

Recommended Posts

Fala galera tudo bem? Estou com uma dúvida sobre como eu devo fazer as perguntas para descobrir o que o cliente quer. Dei uma estudada em UML e entendi na teoria como funciona, mas na prática está meio dificil. Vocês podem me dar exemplos ou algum exercício para entender mais sobre o assunto?

 

Eu acredito que deve-se basear em perguntas do tipo o que o cliente deseja desenvolver, o que cada setor desse sistema vai fazer e o quais serão as informações necessárias desse setores serão necessárias para que o sistema cumpra o que lhe foi requerido. Podem me passar um exemplo ou algum exercício para aprender mais sobre a análise do sistema? VLW

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não há uma resposta ou abordagem correta pra isso, nem manual passa à passo. E a solução só vem com a prática. Cada analista pode avaliar de uma forma diferente, uma mais voltada para o negócio e outra para a parte técnica. Por exemplo, aonde eu trabalho, são vários analistas de negócio e de sistemas, e cada um poderá uma abordagem e conclusão diferente para uma mesma situação.

 

A UML, é apenas para documentação antes de iniciar o desenvolvimento de um sistema.

 

Como analista de sistemas, você deve enteder que o oque o cliente possui é um problema e você precisa resolvê-lo através de uma tecnologia. E essa é a parte difícil, as vezes, nem o cliente sabe qual o problema que ele quer resolver, apenas que quer um sistema.

 

Neste ponto, tudo é baseado através de "histórias".

Citar

Digamos que, o Seu Gerosvaldo (nome fictício) gostaria de implementar um sistema para o seu mercadinho (de pequeno porte) no bairro em que mora. Seu mercadinho é de família e está a três gerações em funcionamento (considerando cada geração em 25 anos, somam-se 75 anos de funcionamento).

É uma definição bem abrangente, mas é o que normalmente ocorre. E, ainda por cima, vai além:

Citar

Seu Gerosvaldo nunca utilizou sistema no mercadinho e possui baixo contato com a tecnologia.

Agora que, como analista, deve enteder o problema que ele quer resolver com o sistema.

Citar

Então Seu Gerosvaldo, qual o motivo para querer um sistema?

 

E, resumidamente, ele poderá (ou não) responder:

Citar

Veja bem, com o aumento das vendas, fica difícil de ter um controle sobre o que estou vendendo e nem sobre o quanto possuo em estoque. Semana passada, meu fornecedor disse que só aceitaria encomendas via sistema e disse que eu deveria entrar em contato com a equipe de TI deles para me informar sobre uma tal de "a-pê-i" (API) e que eu precisaria de um sistema para isso. Além disso, está cada vez mais difícil me manter em dia com os impostos e a receita federal, fica difícil de declarar e cobrar tudo que é necessário.

 

Disso, você pode resumir para o que Seu Gerosvaldo realmente precisa:

Citar

- Controle de estoque;

- PDV (pé de venda ou terminal de venda);

- Integração com fornecedor;

- Questõs tributárias e fiscais, além de integração.

 

E, além disso, uma interface amigável, pois, ele possui pouco contato com tecnologias.

 

Quando você tiver a par dessa informação, pode-se utilizar do diagrama de casos de uso para mapear o que o sistema deve fazer e quais são os seus limites. Há, também, a questão de requisitos funcionais e não-funcionais e fluxo de processo (workflow). Mais afundo que isso, fica para uma parte da análise mais técnica.

 

Com essas informações, é preciso propor algo que esteja de acordo com o que o cliente necessita e pode pagar. Pode ser mais vantagem adquirir sistemas distintos (estoque, PDV, financeiro, contábil, etc..) e integrá-los ou desenvolver tudo do zero personalizado para o cliente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Gabriel Heming detalhou perfeitamente.

Esse conhecimento só vem com a prática.

 

20 minutos atrás, Gabriel Heming disse:

E essa é a parte difícil, as vezes, nem o cliente sabe qual o problema que ele quer resolver, apenas que quer um sistema.

Triste, muito triste.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu tenho apenas uma informação bem básica pra acrescentar nisso tudo, nunca ache que vai ser fácil, ou, não que vai dar trabalho, já vi muita gente por aí (inclusive eu já fiz isso), achando que era serviço de 2 meses por ser pra uma empresa pequena, e quando vai ver, pa, já esta no quarto mês, e você ainda não terminou o trabalho, ou se ja entregou, pode ser alguma coisa de qualidade relativamente duvidosa kk.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Valeu galera, entao baiscamente nao existem perguntas prontas para descobrir o que fazer, cada caso é um caso e deve-se entender o problema do cliente e buscar informações para poder resolve-lo. Muito obrigado a todos!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Realmente o @Gabriel Heming esmagou!

Dando os meus cinco centavos...
Existe outros casos em que o cliente sabe o que quer, e por diversos motivos, ocorre desentendimentos sobre o que é para ser feito. Na minha experiência, conclui que para esses casos, a forma mais eficaz (para mim) de saber o que o cliente quer, é por meio da interface.
Ai entra as ferramentas de prototipagem, ou até mesmo, criar uma versão estática das views. E, principalmente, entregar a versão 1.0 o mais rápido possível! E assim, ir evoluindo com os feedbacks  do cliente

Share this post


Link to post
Share on other sites

@EdCesar nisso que você pensei em uma coisa pra fomentar um debate kk

 

    Eu vejo um problema em muitas vezes tentar entregar um versão não estável para o cliente, mesmo que ele seja informado que é uma versão pra testes, pois se houver muitos bugzinhos simples, é realmente difícil um cliente entender isso, vai haver muita reclamação, por mais que os bugs não interfiram não funcionamento final.

    Por exemplo, se acontecer de algumas máscaras de inputs não funcionarem, ou de a interface gráfica ser relativamente feia, ou as vezes até passar alguns botões que não façam nada ainda mas que foram parar na interface pois fazem parte de uma próxima atualização, isso vai gerar uma certa desconfiança em quem está fazendo o trabalho.

    E como no exemplo do Gabriel, o cliente pode muitas vezes não entender nada da área, e pra ele não aparecer um 'R$' antes de onde ele coloca o valor, pode ser uma coisa muito grande.

Share this post


Link to post
Share on other sites

@AnthraxisBR Acho que entendi a sua questão. Mas quando eu disse "entregar a versão 1.0 o mais rápido possível", não quis dizer para já colocar em ambiente de produção ou sair usando, e sim para avaliar e testar "X" funcionalidades em especifico. Lendo o meu próprio comentário, acho que não detalhei bem essa parte.
Porem,  sei que o que você relatou realmente acontece :) 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá caros, no meu ponto de vista, apenas mais 1 centavo. O apanhado do Gabriel Heming com certeza é a saída para entregar um sistema quase pronto, e os bugs, versão 1.0, com certeza vai sendo acertado, corrigidos na medida dos Feedback. Principalmente no caso do sr. Gerosvaldo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

  • Similar Content

    • By Hacker_Buiu
      Tem que completar o perfil para curtir e ser curtido sem dar erro?
    • By Hacker_Buiu
      Porque não ganho reputação com o meu bom trabalho?
    • By Flaviaac
      Boa tarde pessoal,
      gostaria de pedir uma ajuda para criar um evento em um formulário HTML.
       

      Eu tenho um formulário em HTML e PHP,  e nele tem um campo do tipo select e um campo do tipo text(desabilitado).
      Gostaria que ao clicar no campo select e escolher qualquer opção da lista, automaticamente em seguida aparecesse dentro do campo text um valor respectivo a opção escolhida anteriormente.
       
      Exemplo:
      Tenho um campo select com tipos diferentes de materiais (vidro, papel, alumínio, etc.) e no campo text(desabilitado) terei a quantidade de anos que cada material demora a se decompor na natureza. O campo text inicialmente estará vazio, mas quando selecionar o material, aparecerá dentro deste text a quantidade de anos.
       
      obs.: Os valores do campo select e do campo text estão ambos na mesma tabela do banco de dados(MySQL), o campo select com valores string e o campo text com valores inteiros.
       
      Não sei se consegui explicar direito, mas acredito que terei que utilizar javascript para este evento, mas ainda não sei como.
      Alguém tem ideia de como eu poderia fazer isso ou alguma dica?
       
       
      Muito obrigada!!

       
    • By janir.matheus
      Bom dia,
       
      Preciso de ajuda ajuda para resolver o problema de SIGSEGV, basicamente tennho um zconection dentro de uma classe e recebo erro quando tento acessá-lo. Segue um trecho da classe:
      unit unt_classconexao; {$mode objfpc}{$H+} interface uses Classes, SysUtils, ZConnection, ZDataset; type { tConexao } tConexao = class private public vConector : TZConnection; function Listar_Usuarios:TZReadOnlyQuery; procedure Conectar_Banco; end; implementation { tConexao } function tConexao.Listar_Usuarios: TZReadOnlyQuery; var zrquery : TZReadOnlyQuery; begin Conectar_Banco; try zrquery := TZReadOnlyQuery.Create(nil); zrquery.Connection := vConector; zrquery.SQL.Clear; zrquery.SQL.Text := 'SELECT * from tbl_profissionais'; zrquery.Open; Listar_Usuarios := zrquery; finally end; end; procedure tConexao.Conectar_Banco; begin //vConector := TZConnection.Create(nil); vConector.HostName := 'localhost'; vConector.Port := 3306; vConector.Database := 'Caps'; vConector.Protocol := 'mysql-5'; vConector.User := 'root'; vConector.Password := ''; vConector.Connected := true; end; end. Após isso tento fazer uso dessa classe para popular um DBGrid:
      unit unt_frmprincipal; {$mode objfpc}{$H+} interface uses Classes, SysUtils, DB, Forms, Controls, Graphics, Dialogs, Menus, DBGrids, ZConnection, unt_classconexao; type { Tfrm_principal } Tfrm_principal = class(TForm) DataSource1: TDataSource; DBGrid1: TDBGrid; MainMenu_frmPrincipal: TMainMenu; MenuItem_AplicativoSair: TMenuItem; N1: TMenuItem; MenuItem_AplicativoLogin: TMenuItem; MenuItem_Aplicativo: TMenuItem; procedure MenuItem_AplicativoLoginClick(Sender: TObject); private public vConexao : tConexao; end; var frm_principal: Tfrm_principal; implementation {$R *.lfm} { Tfrm_principal } procedure Tfrm_principal.MenuItem_AplicativoLoginClick(Sender: TObject); begin //vConexao := tConexao.Create; DataSource1.DataSet := vConexao.Listar_Usuarios; end; end. A mensagem de erro que recebo dá a entender que o problema ocorre logo que o zconnection começa a ser configurado, como vocês podem ver pelos trechos comentados eu tentei instanciar o componente também sem sucesso. Não tenho experiencia com POO e tenho certeza que estou cometendo um erro bobo, então peço uma explicação sobre como resolver isso. Agradeço de antemão a quem puder me ajudar.
       
      PS. Estou usando o Lazarus.
    • By iJeanClaud
      Olá, pessoal.
      Bom, eu sou programador e já trabalhei muito em sistemas PHP, Java, etc. 
      Recentemente um amigo meu veio conversar comigo a respeito de uma vaga que surgiu na empresa na qual ele faz parte do RH, trata-se de automação de testes
      por incrível que pareça, nunca havia ouvido falar sobre isso e nem sequer entendi a lógica e essa é minha maior dúvida.

      Pelo que entendi, pesquisando na internet e assistindo vídeos, é um teste mais aprofundado em softwares, independente da plataforma, tais como: verificar todos os possíveis erros em uma tela de login, de cadastro, etc. O problema nisso tudo é que eu não consigo entender qual a lógica disso, e como assim "automação de testes" sendo que no trabalho em si você já está testando uma coisa? Porque precisa de alguém pra trabalhar em cima de uma automação disso? Espero que entendam minha dúvida e agradeço a quem tentar, pelo menos um pouco, me ajudar com isso.

      Obrigado!
×

Important Information

Ao usar o fórum, você concorda com nossos Terms of Use.