Jump to content

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

Sybok

Não é hora de repensar o Tableless e o Web Standards?

Recommended Posts

Olá, amigos!

Recentemente tive problemas com um design na empresa onde trabalho, gastei horas de trabalho sem conseguir o que queria, então um tiozão pegou o caso e resolveu o problema em 5 minutos usando uma tabela para fazer o layout. O patrão o parabenizou pela solução e agilidade e eu fiquei com cara de "tacho".

Envergonhado Busquei uma solução tableless, encontrei e apresentei, mas ela foi rejeitada devido a problemas de compatibilidade.

 

Sempre me achei um baita profissional, e não gostei da solução com tabelas.

No boteco após o trabalho fui eu falar com o cara para saber se não era errado ou antiprofissional entregar ao cliente o site daquele modo.

Pra ser sincero sempre achei esse cara meio esquisitão e ele não aparentava ter grandes conhecimentos, fui aproveitar sondar que tipo de cara ele era.

O cara é um dinossauro dos tempos do DOS e da BBS, descobri que sabe muito mais de informática do que eu. Conversa vai conversa vem, entrei na questão do Web Standards, que a solução com tabelas não me agradou e me pareceu amadora.

 

Ele riu de mim e disse que o tableless é moda, que a solução entregue é muito mais profissional do que a solução "idiota" (palavras dele) que eu apresentei em seguida.

 

A conversa foi longa, mas de tudo o que ele me falou, duas coisas me chamaram a atenção.

A primeira é que segundo ele eu desperdicei tempo e dinheiro da empresa levando horas tentando fazer algo que em 5 minutos ele fez. Um dia inteiro de trabalho perdido, admiti eu... Então ele completou dizendo que embora a solução fosse simples, eu não a encontrei ou não a reconheci como tal, simplesmente por limitar meu raciocínio e seguir um lema proibitivo do "não use tabelas para fazer layout".

 

Qual é a atitude profissional? Resolver problemas rapidamente usando de qualquer meio inteligente disponível ou perder tempo tentando seguir uma ideologia que entrou na moda?

 

E os padrões eu retruquei?

 

Foi ai é que minha cabeça deu um nó...

 

Os padrões são criados com um único objetivo, e devem atingir esse objetivo, não são um fim em si mesmo.

O objetivo da padronização é a compatibilidade, por isso chamei a sua solução é idiota.

As tabelas são mais compatíveis do que sua solução "web standards". De que vale então seu suposto padrão?

 

Agora eu pergunto a vocês, esse tiozão figuraça tem ou não suas razões?

 

Até que ponto essa obsessão por "Web Standards" não tem nos levado a adotar técnicas que, embora sejam pautadas nos supostos padrões superiores do tableless, são muitas vezes mais incompatíveis do que suas alternativas usando tabelas?

Será que é só culpa da MicroSoft que não segue os padrões como eu mesmo estou cansado de tanto repetir, ou nós temos por muitas vezes adotado técnicas mais problemáticas e incompatíveis, perseguindo o padrão como um fim em si mesmo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fazia tempo que não aparecia uma coisa dessas por aqui, fiquei contente agora.

 

Vamos lá, nas minhas considerações.

 

Infelizmente, as vezes temos que deixar de lado o padrão e fazer como o "tiozão" fez. Ficar pensando na melhor solução semantica é sensacional, mas não gaste o dinheiro da empresa se você ainda não tem o conhecimento necessário, comece por coisas básicas e depois vá evoluindo, treine as coisas, pratique no forum leia muito. Mas não gaste o dinheiro da empresa.

 

 

Não curto muito escrever demais, desta forma, acredito que a solução que o "tiozão" fez é válida e deve ser assim mesmo quando necessário.

 

Se conseguir reunir umas pessoas, podemos marcar um dia e horário para conversarmos sobre isso

 

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas não é proibido usar tabelas desde que sejam para dados tubulares

 

Qual foi a situação que o levou a esta dissertativa sobre o uso ou não dos padrões?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fazia tempo que não aparecia uma coisa dessas por aqui, fiquei contente agora.

 

Vamos lá, nas minhas considerações.

 

Infelizmente, as vezes temos que deixar de lado o padrão e fazer como o "tiozão" fez. Ficar pensando na melhor solução semantica é sensacional, mas não gaste o dinheiro da empresa se você ainda não tem o conhecimento necessário, comece por coisas básicas e depois vá evoluindo, treine as coisas, pratique no forum leia muito. Mas não gaste o dinheiro da empresa.

 

 

Não curto muito escrever demais, desta forma, acredito que a solução que o "tiozão" fez é válida e deve ser assim mesmo quando necessário.

 

Se conseguir reunir umas pessoas, podemos marcar um dia e horário para conversarmos sobre isso

 

Abraço

 

É, ele acabou mesmo me convencendo de que é mais do que valido, era a coisa mais profissional a se fazer.

O layout era quase impossível sem tabelas e tinha que ser compatível com o IE6.

A verdade é que eu nem cogitei o uso de tabelas e isso é o que me deixou assutado. Eu criei limites mentais que reduziram minha capacidade de achar uma solução viável ao problema quando bastaria te colocado uma tabelinha ali... Não precisava nenhum "brilhantismo" pra resolver o problema, só faltou uma mentalidade mais "aberta" e "livre" de certos preconceitos.

 

Na verdade me senti muito mal profissionalmente, mas aprendi uma lição valiosa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Repito que não é proibido usar tabelas mas tem que ver qual a finalidade

 

dependendo do que for tabelas é o jeito correto

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas não é proibido usar tabelas desde que sejam para dados tubulares

 

Qual foi a situação que o levou a esta dissertativa sobre o uso ou não dos padrões?

Na situação descrita a solução foi um layout baseado em tabelas, ou seja, elas não foram usadas para dados tabulares, mas sim para o layout.

Depois eu achei uma solução "web standards" que foi rejeitada por falta de "compatibilidade".

 

O grande X da questão é que o layout com tabelas era mais "compatível" do que o tal "web standards". Eu acabei por perseguir o padrão como um fim em si mesmo quando na verdade o objetivo do padrão é justamente a compatibilidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas não é proibido usar tabelas desde que sejam para dados tubulares

Acredito que isso nem deva ser discutido. Se tentou fazer com qualquer elemento o "alinhamento" de dados tabulares, ele está totalmente errado

 

 

Qual foi a situação que o levou a esta dissertativa sobre o uso ou não dos padrões?

Tem como mostrar a situação para nós?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou curioso pra ver essa página. Ela está online?

 

Nem com o uso de hacks foi possível desenvolver com webstandards?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, sinceramente?

O mente fechada no caso é esse 'tiozão' aí. Pessoas tendem a se acomodar, a maioria delas tende. Ele trabalhou na época da guerra dos navegadores, IE x Netscape.

Essa guerra era tão absurda que desenvolvedores tinham 2 versões de cada site, uma para cada navegador.

Felizmente com o advento da W3C isso está chegando ao fim. Webstandars existem e estão aí para serem usadas SEMPRE.

Mas quem falou que ele quer reaprender tudo de novo?

 

Sim, existe aquele maldito navegador do ícone azul da empresa do tio Bill que data de 2001 o qual vive atrapalhando nossas vidas, mas o seu reinado está quase no fim. Empresas grandes como a Google já não oferecem mais suporte ao IE6. Tenta entrar no youtube com o IE6, só falta te xingarem.

 

Com o CSS 3 é possível fazer com que as tags semanticamente corretas tenham um 'visual' de tabela, através da propriedade display. O problema é que o mesmo navegador azul do tio Bill só reconhece CSS3 a partir da versão 9 e ainda brigamos com a versão 6.

 

Infelizmente, no mundo corporativo, as mudanças são mais lentas, não dependem apenas de vontade. Não é raro por aí encontrar empresas que ainda possuem máquinas com Windows 98, que fatalmente terão o IE6, às vezes até o medonho IE5.5 instalado.

 

Muitas empresas por aí só se importam com os resultados apresentados, não importanto os meios utilizados para se chegar lá. Espero nunca trabalhar numa empresa assim. Empresas de outros ramos são obrigadas a seguir padrões internacionais (os tais ISO's), porque no ramo de software (para a web) não é da mesma maneira?

 

Disso aí você pôde aprender que a sua empresa é daquelas que só se importa com os resultados. Sabendo disso, não sinta-se culpado em dar um jeitinho brasileiro como fez o seu amigo 'tiozão'.

Claro que nem tudo são flores, temos prazos a cumprir, o cliente quer ver o resultado, mas na minha opinião, o heroísmo do seu colega deveria ser no máximo uma solução provisória, até que a definitiva (e dentro dos padrões) fosse encontrada. Agora em que planeta isso ocorre? Não no nosso, com certeza...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Escuta o William Bruno e o Rick.hjpbarcelos

 

O uso dos padrões é também o nosso bom serviço na hora das empresas fazerem os seus navegadores os entenderem e principalmente os seguirem e interpretarem corretamente, não é modismo, é algo essencial para que estas incompatibilidades que você teve neste caso não ocorram mais

 

Mas como o Rick bem falou se na empresa onde trabalha tanto faz é outra historia

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou curioso pra ver essa página. Ela está online?

 

Nem com o uso de hacks foi possível desenvolver com webstandards?

Não rola amigo.

 

O problema é que a estrutura tem três andares, são três linhas e era preciso fluidez tanto na horizontal quanto na vertical.

Com a faux column quando o conteúdo apresentava imagens maiores a coluna não tinha como se mover junto, já que se trata de uma coluna falsa.

 

Esse layout especifico iria exibir o mural de eventos um clube, os dados eram dinâmicos contendo texto e fotos e seriam pegos no DB, as fotos não seguiam um padrão de tamanho, então a estrutura acabava exigindo fluidez nos dois sentidos. A faux column só permite fluidez em um sentido.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é, Mário, vendo esse tipo de coisa é o que me desanima cada vez mais de querer seguir carreira na área de TI.

Sempre gostei de computação, aprendi a programar quase que sozinho e hoje, depois de 5 anos como desenvolvedor web sinto que estou começaaaaando a ficar BOM nisso.

 

Para quem não sabe, eu estou no 3º ano de Engenharia da Computação, na UFSCar, São Carlos - SP, mas desde que entrei aqui, só tenho tido decepções ao saber com funciona o mercado de trabalho para nós computeiros.

 

E o problema é que a computação é uma ciência muito nova. Tem aí, com muita voa vontade, 60~70 anos. Apesar de exaustivas tentativas, os padrões, quando existem, muitas vezes não são seguidos. Cada empresa, cada pessoa tem sua metodologia, seu know-how, e cá entre nós, é bem típico de um profissional da nossa área se achar o dono da verdade, dizer que o jeito dele de fazer as coisas é o melhor.

 

A computação é muito mais volátil que as outras ciências. Pense no mundo há uns 10 anos. Em 2001 praticamente ninguém sabia o que era Ajax, não existiam frameworks javascript (pelo menos, não eram populares), o navegador de última geração era o IE6, ruby on rails era só um projeto e por aí vai. Agora vamos falar de física: a última grande descoberta da física aconteceu nos anos 70 e ainda é uma teoria a ser provada (teoria das cordas).

 

Vamos ainda mais além, vamos para a engenharia civil. Essa profissão tem no mínimo uns 5 mil anos. Ou vocês acreditam mesmo que foram ET's que construíram as pirâmides do egito? Praticamente tudo que tem para se saber sobre construção civil já se sabe. Nenhum maluco vai falar: 'hmmm, assim não tá bom, vou inventar outro jeito', porque se o 'jeito' dele não der certo, o prédio desaba.

 

O profissional de TI tem que se reciclar e se reinventar a todo tempo para não ficar pra trás. Acaba sendo um tanto frustrante você se esforçar, estudar, passar noites em claro pra resolver aquele problema e isso não ser valorizado. Ver que aquela solução porca daquele dinossauro da empresa foi a que agradou ao chefe, mesmo sabendo que aqui tem um prazo de validade e que um dia a m***** vai pro ventilador, não haver nada que você possa fazer.

 

Esse é o problema do mercado de TI no Brasil: além de (muito) mal pagos, muitas vezes não somos valorizados pelo trabalho que fazemos.

Por essas e outras que por hora minha intenção é fazer qualquer outra coisa da vida e deixar a computação como um hobby.

 

-- desabafei :mellow:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estou curioso pra ver essa página. Ela está online?

 

Nem com o uso de hacks foi possível desenvolver com webstandards?

Infelizmente não amigo, o projeto era um redesign para a intranet de um clube e isso foi parte do problema. Eles já tinham um sistema pronto, nós não iriamos criar todo o sistema nem redesenhá-lo, apenas fomos encarregados de modernizar o design e em especial adequar o sistema as novas cores do clube.

 

Existe uma solução webstandards.

Era preciso fazer os DIVs se comportarem como tabelas:

 

 

#div_table{

display: table;

border-color: blue;

border-style:solid;

border-width:5px;

}

#div_td{

display: table-cell;

border-color: blue;

border-style:solid;

border-width:5px;

}

 

#div_tr{

display: table-row;

border-color: blue;

border-style:solid;

border-width:5px;

 

O problema foi de incompatibilidade com alguns navegadores do clube. Tinha muito computador velho lá.

Nem procurei por hacks, pois quando achei a solução webstandards, as tabelas já estavam em uso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pelo que eu entendi, não é nada que um pouquinho de Javascript não pudesse dar jeito.

Se o layout é fluido, bastava definir as larguras em porcentagem, 33,33% pra cada coluna.

A altura é por pardrão 'fluida'. Se precisasse alinhar as alturas de cada 'linha', tem uma funçãozinha javascript (usando jQuery) que resolve o problema:

 

/**
* Original http://css-tricks.com/8401-equal-height-blocks-in-rows/
* @param elements
*/
function tallest(elements) {
var currentTallest = 0;
var	currentRowStart = 0; 
var rowDivs = new Array(); 

$(elements).each(function() {
	var $el = $(this);
	var topPostion = $el.position().top;

	if (currentRowStart != topPostion) {

		// we just came to a new row. Set all the heights on
		// the completed row
		for ( var currentDiv = 0; currentDiv < rowDivs.length; currentDiv++) {
			rowDivs[currentDiv].height(currentTallest);
		}

		// set the variables for the new row
		rowDivs.length = 0; // empty the array
		currentRowStart = topPostion;
		currentTallest = $el.height();
		rowDivs.push($el);

	} else {

		// another div on the current row. Add it to the
		// list and check if it's taller
		rowDivs.push($el);
		currentTallest = (currentTallest < $el.height()) ? ($el.height()) : (currentTallest);

	};

	// do the last row
	for ( var currentDiv = 0; currentDiv < rowDivs.length; currentDiv++) {
		rowDivs[currentDiv].height(currentTallest);
	};
});
}

 

Basta definir uma classe comum para todas os elementos que precisam ter suas alturas igualadas, exemplo 'celula'. E fazer:

tallest('.celula');

 

Repare que ela funciona 'por linha', pegará sempre o maior elemento da 'linha' atual e igualará as outras alturas.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, sinceramente?

O mente fechada no caso é esse 'tiozão' aí. Pessoas tendem a se acomodar, a maioria delas tende. Ele trabalhou na época da guerra dos navegadores, IE x Netscape.

Essa guerra era tão absurda que desenvolvedores tinham 2 versões de cada site, uma para cada navegador.

Felizmente com o advento da W3C isso está chegando ao fim. Webstandars existem e estão aí para serem usadas SEMPRE.

Mas quem falou que ele quer reaprender tudo de novo?

(...)

Disso aí você pôde aprender que a sua empresa é daquelas que só se importa com os resultados. Sabendo disso, não sinta-se culpado em dar um jeitinho brasileiro como fez o seu amigo 'tiozão'.

Claro que nem tudo são flores, temos prazos a cumprir, o cliente quer ver o resultado, mas na minha opinião, o heroísmo do seu colega deveria ser no máximo uma solução provisória, até que a definitiva (e dentro dos padrões) fosse encontrada. Agora em que planeta isso ocorre? Não no nosso, com certeza...

 

Cara, o objetivo do padrão é a compatibilidade.

 

E você deduziu errado, esse tiozão sabe tudo de CSS e tableless.

O cara não é um velhote que se recusa a aprender, muito pelo contrario, sabe mais do que eu.

 

Ele é fã do uso de tabelas e nos últimos dias tem me mostrado opções de layouts que só podem ser conseguidos com o uso delas.

Segundo ele esse negocio de tebleless se baseia em diversos equívocos, um deles se relaciona a falta de conhecimento da historia da informática.

Um exemplo que ele deu são as supostas vantagens que se atribui ao tableless e as comparações feitas com os layouts feitos em tabelas.

Os exemplos como o uso de GIFs para posicionar textos, são de praticas antigas, anteriores ao surgimento do CSS. Layouts sem tabelas na época faziam uso do mesmo tipo de pratica.

Isso não significa que hoje seja assim.

Todas as vantagens do uso do CSS também afetam os layouts com tabelas, as vantagens na verdade são fruto do CSS e somente dele, não do "tableless".

 

Quando fui defender o tableless eu citei que também foi inventada a TAG DIV e falei das vantagens dela sobre a TAG table.

Ele simplesmente apontou o obvio, disse que isso não faz diferença pra ele.

 

Ele conhece e usa a TAG div, disse que quando me mostra as vantagens da TAG table, me mostra algo que eu me recuso a usar, enquanto que quando eu mostro as vantagens do DIV, não estou mostrando nada que ele não conheça ou não use.

 

 

Segundo ele, "não usar tabelas" não traz nenhuma vantagem.

Usar DIV e CSS é o que resultou em avanço e revolucionou o Web design, e para usar o DIV e o CSS eu não preciso "não usar tabelas".

É possível usar DIV, tabelas e CSS, e ter a vantagens de cada coisa.

 

Eu achei fantásticas algumas opções de layouts com tabelas que ele me mostrou.

Sinceramente, Estou despertando para um novo mundo de possibilidades.

 

Ver que aquela solução porca daquele dinossauro da empresa foi a que agradou ao chefe, mesmo sabendo que aqui tem um prazo de validade e que um dia a m***** vai pro ventilador, não haver nada que você possa fazer.

 

Eu me senti muito mal também por esse motivo cara.

Vi um "dinossauro" fazendo layout "amador" com tabelas e me deixando com cara de tacho.

 

Me senti assim até ir conversar com o tal "dinossauro" e ver que de "amador" o cara não tinha nada.

Vou te falar, o cara é f*** e sabe do que está falando.

 

Aprender a fazer laoyout com tabelas é minha nova missão. Ele me ensinou que Conhecimento se adquire aprendendo a fazer e a usar ferramentas como a TAG table, não usar essa TAG e não aprender as opções de layout que elas trás, não resulta em conhecimento.

Eu não vou deixar de saber nada do que já sei sobre tableless, nem deixar de usar. Só vou aprender mais coisas sobre o mundo desconhecido das tabelas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Cara, o objetivo do padrão é a compatibilidade.

Concordo, a questão é que o IE6 tem 10 anos de vida e a Micro$oft sempre gostou de criar os próprios 'padrões'.

É a mesma coisa de você pegar aquele celular com tela monocromática de 10 anos atrás e tentar acessar a internet por ele.

 

Ele é fã do uso de tabelas e nos últimos dias tem me mostrado opções de layouts que só podem ser conseguidos com o uso delas.

Errado. QUALQUER LAYOUT FEITO EM TABELAS PODE SER FEITO EM TABLELESS.

 

Ele conhece e usa a TAG div, disse que quando me mostra as vantagens da TAG table, me mostra algo que eu me recuso a usar, enquanto que quando eu mostro as vantagens do DIV, não estou mostrando nada que ele não conheça ou não use.

A diferença entre <div> e <table> é a SEMÂNTICA. Tableless não significa NÃO USAR TABELAS, significa USAR TABELAS PARA OS FINS PARA OS QUAIS ELA SERVE.

Uma tabela deve somente, e somente para exibição de dados tabulares.

 

O problema é querer usar <div> como uma tag mágica. O HTML5 já existe e trouxe uma nova gama de tags para serem usadas com a SEMÂNTICA correta.

 

Você quer um exemplo de que layout em tabelas é impraticável? Tente acessar um site com estrutura tabular através de um dispositivo móvel, um celular ou um tablet e depois me conta a experiência.

Além disso, a criação de tabelas é muito mais 'verbosa', o que aumenta a quantidade de código da página em relação ao conteúdo, por sua vez dificultando mecanismos de busca a encontrar a sua página.

Posso de tar mais 'n' motivos para não desenvolver layout tabular, mas se você preferir, pode ir na onda do tiozão aí.

 

E volto a repetir: se o tal tiozão aí se recusa a seguir os padrões definidos pela entidade que rege o desenvolvimento web, então ele tem sim a mente fechada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo, a questão é que o IE6 tem 10 anos de vida e a Micro$oft sempre gostou de criar os próprios 'padrões'.

É a mesma coisa de você pegar aquele celular com tela monocromática de 10 anos atrás e tentar acessar a internet por ele.

Mas veja que sendo o objetivo a compatibilidade e a TAG table apresentando nessas ocasiões maior compatibilidade, não faz sentido seguir um suposto padrão como um fim em si mesmo.

A TAG table atingiu nessa situação a meta compatibilidade melhor que o suposto padrão.

Errado. QUALQUER LAYOUT FEITO EM TABELAS PODE SER FEITO EM TABLELESS.

Com a mesma agilidade e compatibilidade duvido. Não nos exemplos de layout que eu vi.

Reproduzi-los em tableless seria desnecessariamente demorado, e por isso mesmo, acabaria custando muito mais caro.

A diferença entre <div> e <table> é a SEMÂNTICA. Tableless não significa NÃO USAR TABELAS, significa USAR TABELAS PARA OS FINS PARA OS QUAIS ELA SERVE.

Uma tabela deve somente, e somente para exibição de dados tabulares.

Pois isso é tudo o que eu tenho aprendido até hoje e foi o que resultou no meu problema relatado.

As tabelas, ao contrario do que eu sempre aprendi, podem não ter sido criadas com essa intenção, mas são ótimas para produzir layout.

Qual então a razão de não utilizá-las para isso?

 

Se elas não apresentam problemas de compatibilidade então o objetivo do padrão é cumprido.

Devo me apegar a pura semântica?

O problema é querer usar <div> como uma tag mágica. O HTML5 já existe e trouxe uma nova gama de tags para serem usadas com a SEMÂNTICA correta.

E que provavelmente vão apresentar problemas de compatibilidade ainda por um bom tempo, assim como toda inovação...

Você quer um exemplo de que layout em tabelas é impraticável? Tente acessar um site com estrutura tabular através de um dispositivo móvel, um celular ou um tablet e depois me conta a experiência.

Isso eu ainda não tentei fazer, mas pegando pela lógica, esses dispositivos devem respeitar a exibição da TAG table ou não?

Não é possivel exibir tabelas nesses dispositivos?

Além disso, a criação de tabelas é muito mais 'verbosa', o que aumenta a quantidade de código da página em relação ao conteúdo, por sua vez dificultando mecanismos de busca a encontrar a sua página.

Posso de tar mais 'n' motivos para não desenvolver layout tabular, mas se você preferir, pode ir na onda do tiozão aí.

Cara, não estou indo na onda de ninguém, muito pelo contrario. Deixei de aprender a fazer layout usando tabelas porque em tudo que é canto o pessoal diz para não fazer isso.

Agora é que estou questionando as razões disso.

 

O exemplo que você acabou de dar, por exemplo, não é sempre verdadeiro.

Ter que usar JavaScript pra corrigir o problema de compatibilidade do layout citado no inicio do tópico, tornaria o tableless muito mais verboso do que o uso de tabelas.

 

Alías, a faux column é um exemplo de limitação do tableless facilmente resolvido com o uso de uma tabela. O resultado usando tabela além de tudo é menor e mais leve.

E volto a repetir: se o tal tiozão aí se recusa a seguir os padrões definidos pela entidade que rege o desenvolvimento web, então ele tem sim a mente fechada.

Cara, não é uma recusa em seguir o padrão (e vamos lembrar que a TAG table é padrão), é a percepção de que o padrão tem um objetivo o qual a TAG table não só não fere, como chega a atingir mais perfeitamente que um suposto "webstandard".

É também a percepção de que o "não usar" uma ferramenta disponível, não trás vantagens, muito pelo contrario, perde-se todas as vantagens que poderiam vir do uso dessa ferramenta.

 

Depois, quando sobrar mais tempo, eu posto algum exemplo de layout legal com tabelas pra você analisar e ai você me diz se compensaria reproduzir em tableless.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Companheiro, você está meio deslumbrado com a 'alternativa' que lhe foi apresentada. Só isso.

Vamos ver os seus equívocos só no último post:

 

Mas veja que sendo o objetivo a compatibilidade e a TAG table apresentando nessas ocasiões maior compatibilidade, não faz sentido seguir um suposto padrão como um fim em si mesmo.

A TAG table atingiu nessa situação a meta compatibilidade melhor que o suposto padrão.

Primeiro: um padrão surge da ocorrência de um dado problema, apresentando uma solução.

Acontece que a empresa do tio bill, vai saber por que raios de motivos, não enfiou uma porcaria de um atualizador automático no seu navegador como toda empresa decente faz.

Dá pra disfrutar de todos os recursos da internet atual com um navegador de 10 anos atrás? Não!

O IE6 é sim uma pedra no sapato, mas ele está sumindo, cada vez mais rápido. Só não sumiu de vez ainda novamente por culpa da microsoft, que não conseguiu emplacar o Windows Vista, que já trazia por padrão o IE8.

 

Com a mesma agilidade e compatibilidade duvido. Não nos exemplos de layout que eu vi.

Reproduzi-los em tableless seria desnecessariamente demorado, e por isso mesmo, acabaria custando muito mais caro.

Com a prática, tudo fica mais fácil. E se você desenvolve um trabalho melhor, por que não cobrar mais caro?

Não é isso que alega a Apple ao cobrar preços absurdos em seus iPods, iPhones e iPads?

 

As tabelas, ao contrario do que eu sempre aprendi, podem não ter sido criadas com essa intenção, mas são ótimas para produzir layout.

Qual então a razão de não utilizá-las para isso?

Você mesmo já deu a resposta: ELAS NÃO FORAM CRIADAS PARA ISSO, então NÃO USE-AS PARA ISSO.

 

Se elas não apresentam problemas de compatibilidade então o objetivo do padrão é cumprido.

Devo me apegar a pura semântica?

A semântica de um código é importantíssima e mecanismos de busca usam esse fato para buscar informações relevantes na sua página.

 

Você usa uma tag <p> para um título?

NÃO! Você usa as tags <h1>...<h6>. Isso diz ao robô de busca que aquilo se trata de um (sub)título da sua página e faz diferença na hora de indexar o conteúdo da página.

 

E que provavelmente vão apresentar problemas de compatibilidade ainda por um bom tempo, assim como toda inovação...

Engano seu, com algumas modificações, qualquer navegador IE7+ pode exibir páginas em HTML5. O IE9 já o suporta totalmente.

Graças a Deus, o pessoal do tio Bill percebeu que não adianta nadar contra a maré.

 

Isso eu ainda não tentei fazer, mas pegando pela lógica, esses dispositivos devem respeitar a exibição da TAG table ou não?

Não é possivel exibir tabelas nesses dispositivos?

Não é que o dispositivo não pode exibir, mas pense assim: uma tabela é um tanto inflexível, ela tem um número fixo de colunas e de linhas.

Aí você construiu seu layout dentro de uma monstra de 1000px de largura por exemplo.

O infeliz que tentar acessar seu site de um iPhone e sua telinha de 640x480 vai sofrer usando o scroll ou a ferramenta de zoom. Nunca mais volta no seu site.

 

Com um layout tableless, é muito mais simples reestruturar a página original de modo a caber na mini-tela do iPhone, pois ele é 'quebrável', enquanto que uma tabela não é.

E cá entre nós, ignorar a ascensão no número de usuários de smartphones e tablets hoje é suicídio para qualquer empresa.

 

O exemplo que você acabou de dar, por exemplo, não é sempre verdadeiro.

Ter que usar JavaScript pra corrigir o problema de compatibilidade do layout citado no inicio do tópico, tornaria o tableless muito mais verboso do que o uso de tabelas.

Só pra te dar um exemplo: salva esse código aí em um arquivo .js separado e me fala o tamanho dele. Mal dá 1kB.

 

Agora vamos pensar em um arquivo pequeno, de 200 linhas, pequeno mesmo. O tamanho do arquivo será aproximadamente:

  • Usando tabelas: 14 kB
  • Tableless: 8 kB + 1 kB do JS = 9 kB

Agora, imagine que o seu site tenha 100 visitas diárias. O total de banda utilizado em um dia é:

  • Usando tabelas: 1,4MB
  • Tableless: 900 kB

500 kB de diferença, parece pouco né? Agora faça para 1000 visitas. Veja quanto não dá de diferença em um mês, em um ano. Multiplique por 10 para ter um arquivo de tamanho real. Multiplique por 100 para ter um sistema completo. Tudo isso é BANDA DISPERCIÇADA. E banda custa caro. Quando o cliente for reclamar que o site está saindo do ar, você vai ter que dizer pra ele contratar um plano de hospedagem melhor para dar conta do tráfego.

 

É o velho: O BARATO SAI CARO NO FINAL.

 

O resultado usando tabela além de tudo é menor e mais leve.

Acabei de te mostrar que não é.

 

Cara, não é uma recusa em seguir o padrão (e vamos lembrar que a TAG table é padrão)...

Ela é tag padrão para DADOS TABULARES, não para layouts.

 

Depois, quando sobrar mais tempo, eu posto algum exemplo de layout legal com tabelas pra você analisar e ai você me diz se compensaria reproduzir em tableless.

Lança um desafio, tem um subfórum específico pra isso e você vai ver que sempre é possível desenvolver algo bem feito, dentro dos padrões e de maneira eficiente.

 

Se você ainda não está convencido de que usar tabelas é uma má idéia, dá uma lida aqui:

:seta: http://www.plasmades...r/stupidtables/

Share this post


Link to post
Share on other sites

volto a repetir.. poste aqui o layout ou ao menos o wireframe desse estrutura, que vamos indicar a solução Tableless adequada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

×

Important Information

Ao usar o fórum, você concorda com nossos Terms of Use.