Jump to content

Archived

This topic is now archived and is closed to further replies.

educadorgustavo

Tableless vs Table

Recommended Posts

O que eu disse não é errado

É sim. Trocando por entities pode até resolver problemas de encoding, mas não é necessário, basta saber usar os charsets.

 

Se não adiciona, me ensina pois é bom saber outras formas...

Estude charsets.

 

Não recomendo, mas desisiti de estudar a fundo as linguagens de programação, pois, na minha (humilde e ignorante) percepção, basta aprender o básico de HTML+CSS+PHP+ASP e "meter a cara" no desenvolvimento de layouts para essas ferramentas CMS - especificamente Joomla!, WordPress e Blogger.

Para o trabalho de um desenvolvedor que pretende desenvolver sites para clientes esta abordagem é bastante válida. No entanto, para um programador que deseja desenvolver sistemas mais complexos e personalizados (Gallery é um ótimo exemplo), não se encaixa. Cabe a cada um ver qual o mercado que pretende atingir, e se lançar pra valer naquele mercado, deixando os outros mercados para os outros profissionais destes mercados.

 

[]'s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Exatamente isso, eu tenho até uma tabelinha com os entities...

O que acontece com o site analisado em questão no validador é exatamente isso, foi colocado as duas formas, ou seja, o mxstudio declarou o charset como UTF-8, porém usou muitos caracters entities que não são interpretados como UTF-8, e isso fez com que o validador desse aquele erro.

Nos navegadores passa numa boa, mas no validador causa esse erro de interpretação. http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/thumbsup.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

(Gallery é um ótimo exemplo)

Xiii... ô #Inside#, se puder, corrija a programação desse link do Gallery porque ele "respondeu" que meu IE8 não é IE8 http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/grin.gif

Ou então peça para digitarem "Desculpe, o Gallery só funciona em browsers modernos - e o Internet Explorer nunca foi!" http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/yay.gif

 

Quanto ao que disse, fica a dica para quem está começando: busquem as soluções para os seus objetivos! De nada adianta passar anos estudando para tentar ser programador se no fundo, no fundo, você só quer trabalhar com design de interface. (A maioria que vejo por aí - e é uma área muito rentável, por sinal).

 

Ah, desculpem fugir um pouco das tables, mas soube de MAIS UMA coisa interessante - Um colega atuava (e atua) como programador freelancer de ASP. Certo dia, soube que uma certa empresa estatal de uma certa cidade em que se vê o ar estava necessitando de um programador de ASP. Chegando ao responsável pela contratação, o cara perguntou: quanto cobra para fazer isso - ele disse R$ 1.200,00. O cara riu e disse: o menor "lance" está em R$ 18.000,00! Façamos o seguinte: fecho contrato com você por R$ 16.000,00 e te dou R$ 12.000,00, beleza?! Êta Brasilsilsilsilsil http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/grin.gif/>

 

Moral da história - tente trabalhar para o governo que você "pode" lucrar MUITO mais! http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/joia.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

tudo é superfaturado mesmo infelizmente

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ah, desculpem fugir um pouco das tables, mas soube de MAIS UMA coisa interessante - Um colega atuava (e atua) como programador freelancer de ASP. Certo dia, soube que uma certa empresa estatal de uma certa cidade em que se vê o ar blink.gif estava necessitando de um programador de ASP. Chegando ao responsável pela contratação, o cara perguntou: quanto cobra para fazer isso - ele disse R$ 1.200,00. O cara riu e disse: o menor "lance" está em R$ 18.000,00! Façamos o seguinte: fecho contrato com você por R$ 16.000,00 e te dou R$ 12.000,00, beleza?! Êta Brasilsilsilsilsil grin.gif

Eu já ouvi falar que o Governo paga bem, mas também que enrola pra caramba pra pagar, então é bom ter um ótimo contrato pra evitar estresse ^_^/>

 

[]'s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Após vários anos no mundo tableless digo que não tenho nada contra quem faz sites com tabelas mas tenho ódio (uiii mona) de quem não respeita o visitante:

 

- Sites muito lentos pra carregar.

- Sites que não funcionam em vários navegadores

- Sites com soluções gambiarras que costumam dar pau ( ex.: vejam a falsa tag SELECT quando vai cadastrar um curriculo em www.vagas.com.br )

- Sites que falam "só funciona no IE" (ex.: site da claro).

 

O importante pra mim, como visitante é funcionar.

 

Já falando como desenvolvedor, é horrível pegar projetos que usaram tabelas no passado. Dá um #@?$%~ trabalho pra alterar as coisas.

Mas também é horrível pegar projetos que usaram CSS ou javascript mal feitos.

 

Resumindo: é tudo questão da qualidade do desenvolvedor.

Share this post


Link to post
Share on other sites

é tudo questão da qualidade do desenvolvedor

De fato, micox http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/thumbsup.gif/> , penso assim também.

 

É comum (e até muito fácil) encontrar "grandes" websites ou portais com erros de programação, sendo que seus programadores tem gabarito em seus currículos (digo, cursos e portfólios). Não sei ao certo o que acontece, mas suponho 3 possibilidades:

 

Ou os desenvolvedores entregam para seus clientes websites "perfeitos" e depois os clientes "estragam-no" via CMS; (acho dificil via front-end, mas...)

Ou os desenvolvedores começam a "se cansar" de fazer "tudo certinho" e depois começam a fazer da "maneira mais rápida";

Ou os desenvolvedores agem com dois pesos e duas medidas, ou seja, se o cliente demostrar entender "moderadamente" do assunto (ou se tiver muito $$$$), o cara faz certinho. Mas se o cliente for "zerado" (de conhecimento ou de $$$$), aí... hummm!

 

Falando de semântica, sinceramente, os "semânticamente corretos" que me desculpem, mas o que importa para UM VISITANTE é a FUNCIONALIDADE do website, não seu código oculto bonitinho. Na boa, dá uma "raiva" ler blogs de profissionais que "descem o cacete" em outro profissionais por causa da "semântica",

O website está funcional, está sendo executado perfeitamente no FFox 2 e 3, IE6 7 e 8 e Safari, cês querem mais o quê %$%#@%!

 

Já ví e vejo websites repletos de tables para layout e funcionando numa boa para o OBJETIVO ao qual se destina. Disse OBJETIVO!

Não cabe mais aqui discutir os benefícios de se construir um website sem tables para layout - É fato que programar tableless é melhor PARA AS MÁQUINAS (interpretadoras de códigos), mas a MAIORIA ESMAGADORA da população que acessa a internet está pouco se lixando para isso. (e nem venham me responder sobre SEO http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/thumbsup.gif/> )

 

Até o WordPress 2.7 e o Joomla 1.5.10 contém alguns erros de compatibilidade com os navegadores!

 

Para mim, o papo é reto: Funcionou bem? Cumpriu o objetivo do cliente? Então tá beleza!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Postei um artigo sobre isso, recentemente.

 

http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/seta.gif/> http://forum.imasters.com.br/index.php?showtopic=347400

 

Fazendo um site em tabelas você vai digitar muito mais, consecutivamente tamanho final de seu arquivo vai ser maio, e logicamente o seu cliente vai gastar muito mais em hospedagem de sites. Agora imagina um site grande, como o Terra, iG, UOL, que a cada segundo tem mais de 10.000 pessoas apertando F5. Imagine quanto isso ia dar de prejuízo para eles.

 

Abraços.

Share this post


Link to post
Share on other sites

mas o que importa para UM VISITANTE é a FUNCIONALIDADE

Para UM VISITANTE sim, mas O DESENVOLVEDOR DEVE se preocupar com a semântica. Eu sou um que "desço o cacete" em site com semântica incorreta. Por mais que o usuário não perceba, o desenvolvedor precisa se preocupar, é o papel dele. Se quer uma analogia: eu posso andar num carro com o motor todo fuçado e não perceber problema algum, mas um engenheiro ou mecânico abrir o motor e me dizer que é uma m****. Pra mim está tudo bem, mas pra quem entende percebe que há algo errado.

Isso sem contar nas inúmeras vantagens que uma boa semântica traz, especialmente quando pensamos em SEO, entre outros, que não cabe citar novamente aqui.

 

O usuário deve se preocupar em usar o site e com o site funcionando na mão dele, agora um desenvolvedor que não se preocupa com a semântica é como um médico que receita remédio sem examinar o paciente, ou como um engenheiro que não calcula as coisas direito, é um profissional IRRESPONSÁVEL.

 

[]'s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Valeu pelo link Thiago, mas cuidado com os direitos autorais... http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/grin.gif/> Scanear sem autorização, pela lei, é crime. Mas como a galera aqui não é Puliça http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/joia.gif/>

 

Olha, quanto ao fator tabela = mais dados, ok, correto. Mas pensando na estrutura da rede mundial de computadores, já lí e assisti uma matéria onde diziam (engenheiros de telecomunicações, etc) que a nossa net é como é porque ela foi planejada e ampliada de maneira desordenada, por isso possuímos (de modo geral) conexões lentas. Segundo eles, um CAOS pode surgir caso a estrutura de telecomunicações não mude - mas não vou falar sobre a matéria porque ela é compriiiiiida http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/grin.gif/>

 

Não podemos vincular (ou culpar) o uso de tables para justificar a bandwidth. Atualmente, o pesadêlo da internet (estrutura complexa de tráfego de dados) são as transmissões de vídeo (seja ao-vivo ou não) e imagens estáticas. Como o futuro (não tão distante) é a comunicação multimídia ao vivo (falar e ver por um relógio de pulso já é realidade), além da interação entre visitantes (web 2.0), as grandes empresas de hospedagem já estão se ajustando à isso. A INSITE, por exemplo, já liberou a bandwidth. Agora, quase todas as empresas podem ficar despeocupadas quanto a isso. E essa é uma tendência das empresas de hospedagem - tornar ilimitada a bandwidth.

 

Bem, voltando ao artigo que Thiago scaneou, retirei algumas partes:

Pág. 3 > Dados invisíveis > 2º parágrafo: "Marcar as páginas exige esforço e, para muitos sites, não há recompensa" [...] "alto grau de complexidade na tarefa, que poderia ser eliminado se ferramentas pudessem cuidar sozinhas da maior parte do trabalho. Sem isso a web semântica pode acontecer no ano que vem ou nunca." [...] "Muitas vezes as empresas se recusam a adotar padrões por interesses comerciais" [...] "As empresas precisam ver os benefícios que a web semântica traz."

Frase final na coluna direita: "É trabalhoso construir sites com XML, RDF e ontologias? Acredito que usar esses padrões é perda de tempo."

Voltamos ao que disse nos primeiros posts:

 

Post#1:

Para mim, é fato que utilizar regras tableless para configurar deixa o website mais rápido, porém não é todo website que PODE ou que NECESSITA de tableless, concorda?

Bem, não quero ser "polêmico", mas creio que o sistema de programar em tabelas só deixará de existir quando programas do tipo WYSIWYG se auto configurarem nos padrões Tableless

Post#9:

uma churrascaria não necessita de um webmaster, mas uma rede de churrascarias, talvez. Sei que se eu oferecer meus serviços visualmente satisfatórios (e ocultamente emporcalhados) a um churrasqueiro por R$ 300,00 e um webmaster oferecer por R$ 2.000,00, adivinhe quem ele irá escolher?

Pensar na internet pelo viés "do profissional da web" é pensar pequeno. A internet do século XXI é "do povo" e para "o povo". Ou seja, por exemplo, por mais que 1.000 profissionais "semânticamente corretos" construam 100.000 mil websites em um ano, os não profissionais (o povo) já devem ter criado mais 1.000.000 de websites, entendem?!

 

Por isso concordo quando um entrevistado (da matéria da revista) reafirma o que disse sobre os programas WYSIWYG.

Entre outras palavras, cada vez mais as pessoas (o povo, não as "grandes" empresas) estão necessitando cada vez menos dos programadores da web (webmasters ou webdevelopers).

 

Isto é o resultado da concorrência aliada a democracia.

Portanto viva as tables e viva os tableless! http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/joia.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu já fiz uma experiência em montar um site em tables. Não consegui terminar. http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/assobiando.gif/>

 

Mas havia colocado ele na internet. E ao longo do tempo os browser foram avançando, cada mais deles seguindo os padrões e aquele sitezinho lá, todo errado no novos browsers.

 

Vamos citar como exemplo o que o #INSIDE# disse:

 

eu posso andar num carro com o motor todo fuçado e não perceber problema algum, mas um engenheiro ou mecânico abrir o motor e me dizer que é uma m****. Pra mim está tudo bem, mas pra quem entende percebe que há algo errado.

Agora você pega seu carrinho, todo fuçado, e vai andando com ele para uma entrevista de emprego que pode melhorar seu padrão de vida. E no meio do caminho, o seu carro não pega. Surgem novos carros, lê-se tecnologias, e o seu está lá com as peças todas fuçadas. No final você acaba perdendo o emprego por chegar atrasado na entrevista. Essa mesma analogia poderia se comparar a um currículo:

 

SEU

-WYSIWYG

 

DE OUTRA PESSOA

-XHTML

-CSS

-JavaScript

-SEO

-Padrões W3C

 

Que você acha que ele vai escolher?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Thiago, sei que este tópico já está grande e, por causa disso, "dá preguiça" de lê-lo por completo antes de postar uma opnião. É normal http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/thumbsup.gif/> .

As "respostas" aos seus comentários já foram comentadas anteriormente. Quanto à questão de aquisição de emprego para "webmaster", no post#15 corroboro com seus argumentos.

Quanto à questão de websites utilizando tables para layout, são vários os posts à respeito, mas posso adiantar "a moral da história": PREÇO e PRATICIDADE e FATIAS DO MERCADO. post#9

 

Para "programar corretamente um website", nunca iria cobrar R$ 300,00 ou até menos (caso dos "sobrinhos" http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/yay.gif/> ). Mas temos que "engolir" que existem pessoas e empresas que querem ampliar sua visibilidade mas não querem ou não possuem R$ 3.000,00 para investir num website semânticamente correto. Por mais "revoltante" que isto seja, temos que respeitar.

 

Quanto ao fato de ter feito website com tables, Thiago, leia o post#23.

Valeu pela opnião http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/joia.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

De fato eu não li os posts anteriores por ter perdido o começo. http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/assobiando.gif/> http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/assobiando.gif/> http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/assobiando.gif/>

 

Vou ler os post indicados. http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/thumbsup.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

Para "programar corretamente um website", nunca iria cobrar R$ 300,00 ou até menos (caso dos "sobrinhos" yay.gif ). Mas temos que "engolir" que existem pessoas e empresas que querem ampliar sua visibilidade mas não querem ou não possuem R$ 3.000,00 para investir num website semânticamente correto. Por mais "revoltante" que isto seja, temos que respeitar.

Quando o website em questão, apesar de ter seu código mal feito, atende a necessidade do cliente, aparece no Google, agrada os usuários e traz retorno, não vejo problema em ter sido feito do modo errado (exceto que o desenvolvedor fez errado). O problema é que geralmente os preços baixos vem acompanhados de sites - além de mal codados - feios, com usabilidade péssima, sem utilidade alguma. É o caso das empresas que pagam "300 pila" só "pra ter site". Nesse caso parabéns para o dono da empresa, pois está jogando dinheiro fora.

 

[]'s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ou os desenvolvedores começam a "se cansar" de fazer "tudo certinho" e depois começam a fazer da "maneira mais rápida";

Ou os desenvolvedores agem com dois pesos e duas medidas, ou seja, se o cliente demostrar entender "moderadamente" do assunto (ou se tiver muito $$$$), o cara faz certinho. Mas se o cliente for "zerado" (de conhecimento ou de $$$$), aí... hummm!

Eu não acredito nestas 2 ultimas possibilidades que você colocou.

Quando alguém aprende de verdade tableless ele percebe que é MUITO mais fácil a programação na verdade, e não um fardo.

A programação server-side (php, asp ,etc) fica INFINITAMENTE mais fácil.

A organização dos arquivos, visual, e tudo mais fica muito mais fácil.

 

Ninguém que saiba tableless irá fazer usando tabelas a não ser que que não saiba tableless realmente.

 

Falando de semântica, sinceramente, os "semânticamente corretos" que me desculpem, mas o que importa para UM VISITANTE é a FUNCIONALIDADE do website, não seu código oculto bonitinho. Na boa, dá uma "raiva" ler blogs de profissionais que "descem o cacete" em outro profissionais por causa da "semântica", mad.gif

O website está funcional, está sendo executado perfeitamente no FFox 2 e 3, IE6 7 e 8 e Safari, cês querem mais o quê %$%#@%!

É ruim para o dono do site que não se dará tão bem no google. Pro visitante não muda nada.

 

Funcionou bem? Cumpriu o objetivo do cliente? Então tá beleza!

Se dar bem no google, em celulares, em futuras atualizações não está no objetivo do cliente?

Talvez o cliente nem saiba que ele também tem estes outros 3 objetivos, mas cabe ao bom desenvolvedor explicar a ele.

 

Dando um exemplo no mundo real: Desisti de comprar um carro e escolhi outro modelo porque o vendedor me explicou direitinho os problemas que o carro pode ter no futuro.

Um mal vendedor só iria me dizer: é bonito e funciona - "cumpre seus objetivos".

 

Não podemos vincular (ou culpar) o uso de tables para justificar a bandwidth

Quanto a isto vou apenas dizer o seguinte: EU não pensei no visitante quando fui fazer meu site. Pensei sim no meu bolso. ECONOMIZEI R$98 por mês porque consegui reduzir o tamanho do meu código.

Em um site com grande visitação você verá o quanto largura de banda é caro.

 

Ah, não se esqueça também que muitos planos de dados para aparelhos móveis cobra por TRAFEGO DE DADOS. Quantos mais kbytes seu celular consumir, mais você irá pagar.

 

------------

Agora falando sobre os sites de R$300

Acho que a parte difícil de fazer sites não é o código. Se fosse só pelo código eu faria sites webstandards a R$200 POIS geralmente todos seguem a mesma estrutura e eu já tenho a estrutura toda pronta (por já ter feito outros sites parecidos antes).

 

Na minha opinião, a parte difícil é a customização, imagens, harmonia, cores, alma da empresa.

Ou seja: acho que o cara não deve cobrar tão mais caro por ser um site webstandards ou por ser um código bom.

 

O cara deve cobrar mais caro pelo conhecimento acumulado: harmonia, acessibilidade, cores, usabilidade, organização, e todas as outras coisas que só quem tem experiência sabe.

 

Mas o que acontece é que o que o INSIDE falou: "O problema é que geralmente os preços baixos vem acompanhados de sites - além de mal codados - feios, com usabilidade péssima, sem utilidade alguma".

Share this post


Link to post
Share on other sites

Funcionou bem? Cumpriu o objetivo do cliente? Então tá beleza!

Se dar bem no google, em celulares, em futuras atualizações não está no objetivo do cliente?

Talvez o cliente nem saiba que ele também tem estes outros 3 objetivos, mas cabe ao bom desenvolvedor explicar a ele.

 

São coisas que você não precisa nem perguntar para o cliente... não é preciso nem explicar... em engenharia de software, faria parte de "Requisitos não funcionais" ... o cliente não precisa falar que quer um site que seja facil de usar, rápido... normalmente isso tem que vir do desenvolvedor.... a não ser que ele fale que quer um site mais rápido....

 

dica: quando ele falar isso, pergunte quanto mais rápido.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E são coisas que se os desenvolvedores conhecem, dificilmente eles desenvolverão seus sites com tabelas. Pois, se a pessoa sabe como tornar um site bem posicionado nos buscadores, sabe elaborar um site para que seja visualizado corretamente em um dispositivo móvel, ela sabe o que são webstandards. Agora, se ela sabe o que são webstandards, sabe o que é SEO e sabe o que é posicionamento de sites em buscadores, mas mesmo assim continua desenvolvendo com tabelas, me desculpe, mas essa pessoa entra na questão que disse em um dos primeiros posts que deixei nesse tópico: ela será uma pessoa preguiçosa.

 

E não caberia aqui a desculpa das questões econômicas no Brasil ou condições de vida do indivíduo, pois, da mesma forma que ele sabe sobre tudo isso, ele sabe sobre webstandards, mas provavelmente o que o mantém desenvolvendo com as tabelas sejam as dificuldades que se encontra na migração do desenvolvimento inadequado para os padrões.

 

Sei muito bem o quão difícil é essa migração, mas se eu fosse aceitar que essa dificuldade fosse mais forte do que minha vontade de aprender a como solucioná-las, eu provavelmente ainda estaria desenvolvendo sites com tabela, como muitos por aí...

 

E hoje, que sei como utilizar tabelas corretamente e onde, não consigo mais desenvolver de maneira contrária. Não consigo fazer uma "engenharia reversa", pois é muito mais fácil! Webstandards são difíceis no começo, mas tornam o trabalho muito mais fácil!

 

Se esforcem! Não ignorem o que se diz por aí sobre as vantagens em desenvolver dentro dos padrões! Se quer ganhar dinheiro fácil, sem ter "muito trabalho", encontre outra área então... hehehe... Mas não venha aqui dizer que desenvolver sites com tabelas é mais rentável, pois é mais rápido e etc...

 

http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/closedeyes.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

De fato como último comentário ficaria esse mesmo: eu não consigo mais desenvolver sites do "modo antigo".

Simplesmente não dá!

Organização? Esqueça! Controle de versão? Praticamente impossível usando tabelas ou WYSIWYG...

Como dificilmente trabalho num projeto sério sem controle de versão, só aí já fica inviável usar WYSIWYG.

Ou seja, além de toda a questão do benefício para o cliente, ainda tem a grande diferença que os padrões fazem numa equipe, que por sinal foi o principal motivo da minha migração para os padrões, há cerca de 2 anos atrás...

 

[]'s

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eitcha que este tópico rendeu! http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/grin.gif/>

Bom, creio que este assunto já está praticamente esgotado aqui. (não?!)

 

Não sou defensor incondicional das tables para layout, pois, de fato, sua utlização desenfreada não é adequada e termina dificultando várias tarefas, seja a nível de usuário (acessibilidade, usabilidade e gerenciamento) ou de software (compatibilidade, programabilidade e processamento).

 

Porém, acredito que, se uma pessoa tem a necessidade de contruir websites mas não possui ainda conhecimentos plenos sobre como programar sem tables (tableless) e ainda sendo "semânticamente correto", a utilização temporária de tables para layout é util, sim!

 

Por que digo isso? Porque se uma pessoa (estudante do 2º grau ou pai de família) está precisando de R$ e tem uma "boa idéia" para atuar num nicho específico de mercado (como criar websites para o bairro onde mora), que acredite na sua idéia e meta a cara nos estudos da área de "webdesign". E se o cara só manjar de programas WYSIWYG? Que se vire com o que sabe então, horas bolas! http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/thumbsup.gif/> Afinal, se você está sem R$ e necessita ganhar uns "trocados" logo, Fw + Dw + Fl é a solução! (até parece que aprendemos esses programas num piscar de olhos, heim?!)

 

Como "saco vazio não se põe em pé", a pessoa deve ir ganhando seu dinheirinho com honestidade, numa boa, até que seja capaz de adequar-se aos moldes padrões do momento. Afinal, são poucos os que podem ser "financiados pelos outros" até que possam se virar sós. Aprender Tableless + CSS + Semântica + etc, não é uma tarefa simples ou rápida. Pode demorar anos até que a pessoa se sinta "capaz" de realizar vários tipos de projetos.

 

De modo grosseiro perguntaria: você preferiria ganhar R$ honesto com tables ou esperaria anos na merd (família precisando de R$) até que pudesse trabalhar com tableless? Quem tiver a 2ª opnião não tem idéia do que é "passar necessidades".

 

Pensaria de outra forma agora, Tarso?

E não caberia aqui a desculpa das questões econômicas no Brasil ou condições de vida do indivíduo

Agora, mudando de foco, passando "do necessitado" (não entendam como pobre) para "o empresário" (aquele que tem uma empresa legalizada), aí a conversa muda.

Se o cara já está "assentado" no mercado de webdesign e mesmo assim insiste em não querer aprender tableless ou então insiste em não querer contratar alguém que saiba para "socorrê-lo", aí sim EU diria que o cara está ERRADO em não querer se adequar.

 

Concordam? :huh:/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

A minha única "revolta" era para quem usa as tabelas para estruturar e as defende com unhas e dentes. Só isso. É somente isso que quero passar desde o começo. Entendo perfeitamente que se o cara está precisando de dinheiro e ele não sabe construir um site de outra forma sem "arrastar e soltar" os botões do DW (ou até mesmo o Front Page), ele pode. Mas a única coisa, repito, que me revolta, é o cara em querer discutir que as tabelas são melhores.

 

Repito: quem usa tabelas a essa altura sabe que está errado. Se você usa e não tem condições de mudar, beleza, aceite suas limitações sejam elas financeiras ou não, e ponto final. Só isso. Repeti isso várias vezes porque eu já vi muita gente aqui no fórum defendendo as tabelas, e se elas usam o fórum sabem que isso está errado.

 

Será que fui mais claro agora do por que dessa minha posição extremista? <_</> Respeito o cara que desenvolve com tabelas, assim como ele deve nos respeitar que estamos aqui discutindo tudo isso. E alguém chegar aqui no fórum dizendo que as tabelas são melhores, não estará nos respeitando.

 

Posso ser mais radical ainda? Olhem ali em cima: Fórum de quê? WEBSTANDARDS! Sim, abordamos as outras linguagens, mas sempre direcionadas para o primeiro item...

 

http://forum.imasters.com.br/public/style_emoticons/default/closedeyes.gif/>

Share this post


Link to post
Share on other sites

×

Important Information

Ao usar o fórum, você concorda com nossos Terms of Use.